secretaria@tupinamba.adv.br
55 (21) 2524-7799 / 2533-7137

Hora noturna maior que a prevista em lei pode ser compensada com aumento do adicional

                         Baixe o áudio
      

(Seg, 24 Fev 2020 15:40:00)

A Primeira Turma do TST considerou válida a norma coletiva que estabelece a hora noturna de 60 minutos mediante aumento do adicional noturno.

Leia abaixo a transcrição da reportagem:

REPÓRTER – De acordo com o artigo 73 da CLT, é considerado noturno o trabalho executado entre as 22h de um dia e as 5h do dia seguinte. 

Neste período, a hora de trabalho do profissional é de 52 minutos e 30 segundos. Além disso, é concedido o adicional noturno equivalente a 20%.

No entanto, os acordos coletivos realizados pela Spaipa Indústria Brasileira de Bebidas preveem que o adicional corresponde a 40% sobre o valor da hora normal, e a hora noturna é considerada como 60 minutos.

Em segundo grau a empresa foi condenada a pagar diferenças de adicional noturno a um empregado. O entendimento do Tribunal Regional do Trabalho no Paraná foi de que a norma coletiva que não observa a hora noturna reduzida prevista na CLT é inválida.

O caso chegou ao Tribunal Superior do Trabalho.

Para o relator do recurso, ministro Walmir Oliveira da Costa, não houve supressão do direito do empregado de forma a causar prejuízo ao profissional. 

Além disso, houve concessão de vantagem compensatória, com a remuneração percentual superior ao de 20%.

Por fim, o ministro destacou que a jurisprudência do TST admite a possibilidade de extinção da hora ficta noturna por norma coletiva, desde que haja a majoração do adicional noturno em contrapartida.

A decisão foi unânime. 

Reportagem: Mariana Mendes 
Locução: Daniel Vasques

 
O programa Trabalho e Justiça vai ao ar na Rádio Justiça de segunda a sexta, às 11h50.
 
Trabalho e Justiça 
Rádio Justiça – Brasília – 104,7 FM
Esta matéria tem caráter informativo, sem cunho oficial.
Permitida a reprodução mediante citação da fonte.
Coordenadoria de Rádio e TV
Tribunal Superior do Trabalho
Tel. (61) 3043-4264
crtv@tst.jus.br