secretaria@tupinamba.adv.br
55 (21) 2524-7799 / 2533-7137

Painel discutirá no TST mecanismos de combate à violência doméstica por meio de negociação coletiva



O evento será transmitido ao vivo no canal oficial do CSJT no YouTube nesta quarta-feira (5), a partir das 16h.

04/02/20 – Os mecanismos de combate à violência doméstica estabelecidos por meio de negociação coletiva serão tema de discussão no primeiro dia da reunião ordinária do Colégio de Presidentes e Corregedores de Tribunais Regionais do Trabalho (Coleprecor), nesta quarta (5) no Tribunal Superior do Trabalho (TST). O painel terá a presença da diretora da entidade sindical canadense Unifor Women’s Department, Lisa Kelly, que vai falar sobre experiências internacionais de enfrentamento ao problema. O evento será transmitido ao vivo no canal oficial do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) no YouTube a partir das 16h, e com tradução oral simultânea.

Acordo coletivo com a Infraero

Em dezembro do ano passado, com a mediação da Justiça do Trabalho, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e o Sindicato Nacional dos Empregados em Empresas Administradoras de Aeroportos assinaram acordo coletivo que incluiu uma cláusula que contribui com o combate à violência doméstica. Nos termos acordados, a Infraero se compromete a celebrar parcerias com órgãos governamentais e não governamentais visando à implementação de programas de erradicação da violência doméstica e familiar contra a mulher e a desenvolver campanhas sobre o tema conjuntamente com o sindicato.

O acordo foi conduzido pelo vice-presidente do TST e do CSJT, ministro Renato de Lacerda Paiva, gestor nacional de Políticas Públicas Judiciárias de Solução Adequada de Disputas da Justiça do Trabalho. “A cláusula contribui para a harmonia e a parceria na relação empresa-sindicato e para a dignidade das trabalhadoras integrantes da categoria profissional”, afirmou.

(NV/AJ, com informações do Coleprecor)

Leia mais:

16/10/2019 – Proposta de acordo coletivo para aeroportuários e Infraero tem cláusula sobre violência doméstica

 

Inscrição no Canal Youtube do TST