secretaria@tupinamba.adv.br
55 (21) 2524-7799 / 2533-7137

Especial Novembro Azul: o que você precisa saber sobre a campanha de combate ao câncer de próstata

Pelo menos 15 mil homens morreram da doença em 2018

A campanha conhecida como Novembro Azul divulga informações sobre o câncer de próstata e os principais exames de prevenção para combater a doença. Dados recentes do Instituto Nacional de Câncer (INCA) revelam que, em 2018, o número de mortes passou de 15 mil homens no Brasil. No país, esse é o segundo tipo de câncer mais comum no sexo masculino.

Luís Fernando Dutra, médico do trabalho em atuação na Divisão Médica e Odontológica da Secretaria de Saúde do TST, apresenta as causas mais recorrentes da enfermidade, quais são os métodos de diagnóstico precoce e o tratamento da doença.

Primeiros sinais

O médico destaca que quase todos os cânceres de próstata são adenocarcinomas, ou seja, se desenvolvem a partir das células glandulares. “Temos também os tipos menos frequentes: carcinomas de pequenas células, tumores neuroendócrinos, carcinomas de células transicionais e sarcomas”, explica.

Segundo o INCA, a fase inicial do câncer de próstata pode ser bem silenciosa, sem aparentar algum tipo de mal-estar, mas com o desenvolvimento da doença, os sintomas mais frequentes variam da dificuldade de urinar e/ou necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite até a dor óssea. Os estados mais graves podem apresentar uma infecção generalizada ou insuficiência renal.

Causas

A genética familiar e o avanço da idade são fatores de risco, de acordo com o médico Luiz Fernando Dutra. “A idade é um fator de risco importante, uma vez que tanto a incidência quanto a mortalidade aumentam significativamente após os 50 anos”, ressalta.

Hábitos alimentares e o excesso de gordura corporal também podem ser fatores preponderantes para o agravamento dos casos de câncer de próstata, além da exposição a alguns tipos de poluição. “O contato com produtos de petróleo, motor de escape de veículo, fuligem e dioxinas e outras substâncias estão associadas ao câncer de próstata”, adverte o profissional.

Prevenção

Os exames que auxiliam na detecção são o toque retal e o exame de sangue, que avalia a dosagem do PSA (antígeno prostático específico). Apesar de boa parte dos homens possuírem resistência com o exame de toque retal, Luiz Fernando Dutra esclarece que o procedimento é seguro e indolor.

“O toque retal, exame que permite ao médico palpar a próstata e perceber se há nódulos (caroços) ou tecidos endurecidos (possível estágio inicial da doença), é feito com o dedo protegido por luva lubrificada. É rápido e indolor.”

Os exames de prevenção devem ser feitos com regularidade a partir dos 50 anos, mas, a depender do histórico familiar ou aparições sintomáticas, a partir dos 40 anos já podem ser efetuados.

Tratamento

O médico do TST explica também que, quando a doença é localizada (só atingiu a próstata e não se espalhou para outros órgãos), a cirurgia, radioterapia e até mesmo observação vigilante (em algumas situações especiais) podem ser oferecidas. 

Já para a doença que é localmente avançada, radioterapia ou cirurgia em combinação com tratamento hormonal podem ser utilizadas como forma de tratamento. No caso da doença metastática (quando o tumor já se espalhou para outras partes do corpo), o tratamento mais indicado é a terapia hormonal.

A escolha do tratamento mais adequado deve ser individualizada e definida após médico e paciente discutirem os riscos e benefícios de cada um.

TST-Saúde

A Secretaria de Saúde dispõe de uma rede credenciada pelo TST-Saúde na especialidade de Urologia – responsável pelos cuidados do sistema reprodutor masculino, além de diversos prestadores na área da Oncologia.

Os exames de prevenção e tratamento podem ser consultados nos hospitais e clínicas conveniadas.

Origem do Novembro Azul

A campanha Novembro Azul teve início em 2003, com o movimento australiano e a criação da Movember Foundation (o nome veio da junção das palavras “Moustache” (bigode) e “November” (novembro). A organização, sem fins lucrativos, tem por objetivo a arrecadação de fundos para combater o câncer de próstata.

Já no Brasil, a campanha ganhou força em 2008, com o apoio Instituto Lado a Lado pela Vida e da Sociedade Brasileira de Urologia. O mês faz alusão ao Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, celebrado no dia 17 de novembro. 

O TST também aderiu à campanha com iluminação especial na cor azul durante todo o mês de novembro. Os refletores ficam ligados das 18h05 às 23h05.

(Mariana Gomes/TG)